home contato

 

 

PRINCÍPIOS DA RADIOTERAPIA & BRAQUITERAPIA

 

Radioterapia é um tipo de tratamento no qual se utiliza de radiações ionizantes para atingir determinadas células, impedindo seu aumento ou causando sua destruição. Assim, é utilizada em tratamentos de cânceres, hemorragias, dentre outros.

De acordo com o estado de saúde do paciente, localização e tamanho do tumor, o número de aplicações é definido. Por meio de radiografias. A equipe médica delimita a área a ser tratada, e o indivíduo recebe tais aplicações em contato direto com o aparelho (braquiterapia ou radioterapia de contato), ou afastado deste (radioterapia externa) – de acordo com a indicação definida para seu caso. Há situações nas quais é necessário o tratamento com estes dois tipos de contato.

Geralmente é feita uma sessão por dia, durante os cinco dias da semana, com duração que varia entre cinco e vinte minutos; com intervalos programados pela equipe.

Até 1940 o radioterapêuta tinha pouca escolha na fonte de radiação que ele usava no tratamento do câncer. A maioria da terapia externa era dada com unidades de raio-X de ortovoltagm que tinham um potencial máximo de 250KVp ou menos.

Poucos centros médicos tinham unidades de 400KVp ou a nova máquina de 1.000KVp ou 1 milhão de Volt. Após a II Guerra Mundial vários desenvolvimentos foram feitos nas máquinas de terapia.

O betatron foi desenvolvido por Donald Kerst na Universidade de Illinois em 1940 para acelerar os elétrons.

Kerst desenvolveu o BETATRON,que acelera elétrons a altas energias. Os elétrons podem ser usados diretamente, ou podem ser usados para produzir feixe de raio-X de alta energia. O betatron ajudou a abrir uma nova era na terapia de radiação - a era da megavoltagem.

Em um aparelho acelerador de elétrons, o campo magnético spins dos elétrons injetados e acelera-los no centro onde há um anel de tubo de vácuo em forma de mudar o campo magnético e produzir um campo elétrico no anel de vácuo.

 

 

 

betatron betatron

 

betatrom1941

BETATRON 1941

 

aceleradorlinear

ACELERADOR LINEAR MODELO NEPTUNE -10 DA CGR MeV QUE PRODUZIR FEIXES DE ELÉTRONS COM ENERGIA DE 6,8 e 10MeVs

 

 

novoacelerador

 

dose

Fontes de Cobalto

A primeira unidade de terapia com 60Co foi feita no Canada por Harold Johns em 1951. Muitas unidades de 60Co são projetadas para girar em volta do paciente. Um grande metal para-raios absorve a radiação que passa através do paciente e reduz a quantidade de proteção necessária nas paredes. A radiação de saída de uma fonte de 370 TBq de 60Co é cerca de 200 R/min a um metro da fonte. Um tratamento típico em radioterapia consiste de 3 Gy(menos do que 2 min) cada dia por cerca de 20 dias. (excluindo os fins de semana)

 

cobalto

 

cobaltonova

Telecobalto (Gammatron)

A calibração de saída das unidades de terapia requer o uso cuidadoso de uma câmara de ionização para medir os roentgen por minuto nos tratamentos usuais a distância.

 

 

gammatron

 

 

Uma das fontes radioativas fáceis para produzir num reator é o 60CO emite raios gamas penetrantes de cerca de 1.25MeV de energia. Estes raios são aproximadamente tão penetrantes quanto os raios-X de uma máquina de raio-X de 3 milhões de volts, mais a unidade de cobalto é muito mais compacta.

 

 

BRAQUITERAPIA

 

Na sua tese de doutorando em 1904, Madame Curie, descreveu um experimento biológico em que ela colocava uma cápsula contendo rádio no braço de seu esposo e deixava-a, por várias horas. Ela observou que era produzida uma ferida que levava um mês para sarar. Esta ferida não era uma "queimadura " superficial, a avaria era muito mais profunda. A possibilidade de usar rádio para destruir câncer foi reconhecida quase imediatamente. A vantagem da braquiterapia, é que ela dá uma dose de radiação muito grande ao tumor, com o mínimo de radiação para tecidos vizinhos normais.

Vantagens:

Alta dose ao tumor (pequeno volume) X baixa dose aos tecidos circunjacentes;

Curta duração do tratamento;

A Braquiterapia é uma modalidade de radioterapia, na qual o elemento radioativo é colocado em proximidade ou dentro do órgão, a ser tratado. Para isso são usados elementos radioativos específicos, de pequeno tamanho e formas variadas, que são colocados na posição de tratamento através de guias chamadas: sondas ou cateteres.

radioativos

IMPLANTES USADOS EM BRAQUITERAPIA

Fonte:http://novastecnologiassaude.blogspot.com

Desvantagens da Braquiterapia

 

Sua principal desvantagem é a não uniformidade da dose, desde que sua radiação é muito mais intensa perto da fonte, embora usando muitas fontes ajuda a fazer a dose mais uniforme. Uma outra desvantagens se relaciona com a segurança das radiações."O terapêuta deve estar próximo á fonte enquanto elas são colocadas. "O paciente e uma fonte radioativa "durante os dias que as fontes estão no lugar, e as enfermeiras, técnicos e outros estão expostos assim a radiação.

 

Divisões da Braquiterapia

 

Intracavitária: (ginecológica ,pulmão, brônquio,esôfago)

Intersticial: (mama, sarcomas, próstata, língua..)

Superficial : moldes ou placas (cavidade oral, pele)

Manual pura: O material é colocado diretamente no tecido alvo.

Afterloanding(pós garga ) manual: cateteres ou aplicadores são colocados, e então o material e inserido nesses guias, manualmente.

Remote Afterloanding (pós carga por controle remoto) : cateteres são colocados e então o material é inserido mecanicamente na aplicação.

 

Tipos ..

 

Pela duração da braquiterapia.

Implantes permanentes:fonte é perene no paciente, nele decaindo. Normalmente, utilizam-se isótopos de meia vida curta : Iodo-125, Paládio-103, Ouro-198.

Implantes temporários: removidos após o tratamento. Existe um melhor controle da dose no volume alvo, pelo planejamento pós-inserção(Césio-136, Irídio- 192).

 

Pela taxa de dose

 

Baixa taxa de dose: Geralmente é tratamento único, com liberação da dose ao longo de horas ou dias. Requer internação e isolamento e a colocação dos aplicadores ou material radioativo geralmente é feita sob anestesia ou sedação.

Alta taxa de dose: O elemento radioativo possui uma alta atividade, e portanto libera uma alta dose em um tempo pequeno. Com isso as aplicações são rápidas, e o tempo de tratamento total, é muito menor do que com a braquiterapia convencional de baixa taxa de dose. Geralmente o tratamento é fracionado e não requer internação nem anestesia. Na braquiterapia de alta dose, depois de inseridos os cateteres, o paciente é radiografado para o cálculo da dose em sistema computadorizado. Para tal utilizam-se marcadores metálicos que possibilitam a identificação dos cateteres nas radiografias, esses dados são então digitalizados no sistema de cálculo para o físico definir os tempos e doses de tratamento.

 

 

FONTES DE BRAQUITERAPIA

 

dose

 

doseradio

 

doses

 

iodo

http://www.prorad.com.br/downloads/Radioterapia-2.pdf

incio